O chão moreno

Campo Grande passou a ser reconhecida como Cidade Morena pela cor do seu chão. O vermelho fértil era a marca de uma terra generosa em que foram, ao longo de 120 anos, sendo semeados, lado a lado, sonhos e trabalho.

A Capital, de contorno moderno e de espírito cosmopolita, alargou seus horizontes a partir da coragem e do destemor dos pioneiros, cujos exemplos estão a inspirar todos os que vivem aqui e que aprenderam a amar este chão.

É o chão que une mulheres e homens que caminham na direção de um mesmo futuro. E Campo Grande, se tem orgulho do seu chão, tem também orgulho de sua gente.

Hoje a cidade e seus desafios abrigam forças construtivas das mais diferentes origens. Hospitaleira, recebeu brasileiros e cidadãos do mundo com generosidade e calor humano, permitindo assim o surgimento de uma cidade onde extremos convivem em paz, onde diferentes se respeitam, onde a construção da igualdade não é um sonho distante.

Há desafios. Há problemas e há ainda muito a ser semeado na terra, no coração e nas consciências. Mas Campo Grande chega aos 120 anos de emancipação com sua gente voltada para o futuro, para as conquistas que estão por vir.

O jornal O Estado homenageia Campo Grande todos os dias com as edições que retratam a Capital, sua vida e seus sonhos, mas hoje, em especial, traz informações para além do cotidiano que permitam, nos espelhos do presente, seguir construindo o futuro ao alcance de todos os que acreditem no papel transformador do trabalho. (Editorial)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *