Governo cria delegacia de combate a crimes rurais e abigeato

crimes rurais

Esperada há décadas pelos ruralistas, o governador Reinaldo Azambuja criou a Deleagro (Delegacia Especializada de Combate à Crimes Rurais e Abigeato), medida comemorada pelas lideranças do agronegócio.

A Deleagro terá a missão de reprimir e investigar crimes como o abigeato, que se trata de furtos de animais domésticos no campo e nas fazendas, principalmente de gado. Também terá competência para investigar e reprimir crimes como subtrações de insumos, defensivos e maquinários agrícolas.

A nova instituição Irá atuar também nos delitos decorrentes de crimes agrários, nos quais haja violência, em um trabalho de cooperação com demais instituições e órgãos, com ressalvas àquelas com competência federal, e prestará apoio às demais unidades policiais na apuração de crimes contra o agronegócio. Além disso, visa coordenar, orientar, prevenir e exercer ações permanentes para o combate aos delitos voltados à atividade rural, centralizar e difundir dados, denúncias e estatísticas sobre este tipo de crime.

O delegado-geral da Polícia Civil, Adriano Garcia Geraldo, ressaltou que a unidade é um grande avanço para segurança pública. “Mostra todo nosso respeito pelos pecuaristas e agricultores, que agora vão dispor de uma unidade especializada para estes crimes, com atuação em todo o Estado”.

Mapeamento

A Deleagro irá mapear as estradas e as propriedades rurais para análise criminal e formulação de políticas eficazes no combate aos delitos no campo. Também estão previstos cursos, palestras e capacitações, visando a prevenção destes crimes, assim como a definição de procedimentos operacionais.

A unidade poderá ainda promover parcerias com empresas, produtores e trabalhadores rurais, assim como órgãos e entidades da administração direta, como a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) e aquelas de âmbito municipal e federal que tratam do tema.

O Decreto também prevê a criação de um banco de dados atualizado sobre veículos boiadeiros, empregadores, condutores de comitivas, motoristas de caminhões e outros dados de relevância que ajudem no combate a estes crimes. Veja também: polícia prende seis mulheres e dois homens dentro da Operação Arlequina

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *