Em 2021, mortes por Covid-19 cresce 32% a mais do que 2020

Covid-19

A taxa de letalidade subiu para 2,3%

Mato Grosso do Sul em quatro meses já superou em 32% as mortes por Covid-19 em relação a todo ano de 2020. Ao todo foram 3.159 óbitos apenas em 2021, contra 2.383 (mortes) no ano passado.

De acordo com os dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES), após a primeira morte devido a Covid em março do ano passado, os meses com maiores vítimas fatais em 2020 foram dezembro (588), agosto (489), setembro (430) e julho (321).

Já em 2021 começou com 569 mortes em janeiro, depois houve uma queda para 410 em fevereiro. Mas em março foram 1.076 óbitos em função da chegada das novas variantes do vírus, que além de serem mais contagiosas, também apresentaram quadros mais graves da doença. Isto refletiu em abril, onde já foram registradas 1.104 mortes, chegando ao total de 5.542 óbitos desde o início da pandemia.

A taxa de letalidade da doença, que ano passado teve uma média de 1,9%, neste mês de abril já chegou a 2,3%. As novas variantes do vírus ainda aumentaram as internações e ocupação dos leitos nos hospitais públicos e privados. O último boletim divulgado mostram 1.081 pacientes internados devido a doença, sendo 544 em leitos clínicos e 537 em leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).

Variantes

Mapeamento genômico feito no Estado mostrou que dos casos de Covid-19 analisados 32,8% fazem parte da variante brasileira B1 e 22,7% da P1, que surgiu em Manaus (AM), considerada altamente transmissível e com maior potencial de gravidade. Ainda foram encontradas mais nove variantes no Estado.

“Com uma nova variante mais transmissível temos mais pessoas que precisam de hospitalização e mais pessoas vão a óbito. Essa variante também acomete jovens, então aquela história de antes, de que somente os idosos iriam precisar de leitos de UTI, não é mais verdade“, ressaltou o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *