Em 2021, Capital obteve bandeira vermelha e cinza em 75% das análises

Mapa-PROSSEGUIR-140421-01-1-730x425

Apesar de estar em bandeira cinza conforme a última classificação do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia), válida até hoje (28), Campo Grande pretende flexibilizar as medidas restritivas a fim de fomentar o comércio para os Dias das Mães e melhorar a sua classificação.

Criado em junho de 2020, o programa já realizou 23 classificações com o grau de risco e os impactos da COVID-19 em todo o Estado. Em 75% das oito análises deste ano, Campo Grande, epicentro da doença em MS, registrou a bandeira vermelha por três vezes e o mesmo patamar na categoria cinza, que representa grau extremo para o novo coronavírus.

Somente em duas análises, a Capital apresentou grau médio para a COVID-19. A classificação com a bandeira laranja se manteve estável por três semanas, entre o período de 17 de janeiro e 6 de fevereiro, o que corresponde às semanas epidemiológicas 3 e 5, conforme a SES (Secretaria de Estado de Saúde). Não houve análise na semana 4.

Com risco extremo de contágio para a doença, Campo Grande operou com restrições entre os dias 22 e 28 de março, semana em que houve a antecipação dos feriados municipais de 13 de junho e de 26 de agosto dos anos de 2021 e 2022. Apesar de estar em bandeira cinza de acordo com a última classificação do Prosseguir válida até hoje (28), a Capital pretende flexibilizar as medidas restritivas para fomentar o comércio para os Dias das Mães. Entre elas o toque de recolher das 22h às 5h.

Vale lembrar que, apenas em 24 de setembro do ano passado, a Capital apresentou bons índices. Esta foi a única vez que o município recebeu a classificação amarela, referente ao risco tolerável de coronavírus. Atualmente o município lidera o ranking com 93.634 contaminados e 2.380 mortes, desde o começo da pandemia em 2020, com taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em 97%.

Prosseguir em 2021

Na primeira atualização do ano, em 13 de janeiro, o Estado apontou uma melhora na classificação de 36 municípios. No entanto, 34 cidades estavam na bandeira vermelha, com nenhum município classificado com menor risco, na bandeira amarela ou verde. À época, das 79 cidades de MS, 43 estavam com a bandeira laranja, que representa o grau médio, e duas com a bandeira cinza, de risco extremo para a doença: Dois Irmãos do Buriti e Japorã.

Em contrapartida, na última classificação, de 14 de abril, com validade até hoje (28), Mato Grosso do Sul se configurava com duas cidades em bandeira cinza: Campo Grande e Itaquiraí. O Prosseguir classificou 60% do Estado, ou seja, 48 municípios, em bandeira vermelha, com alto risco de contágio do novo coronavírus.

Ao longo de quatro meses de 2021, dez cidades foram classificadas como bandeira cinza: Naviraí; Ponta Porã; Itaquiraí; Tacuru; Coronel Sapucaia; Aral Moreira; Bela Vista; Costa Rica, Sidrolândia e Campo Grande. A Capital, inclusive, foi o único município a permanecer com grau extremo de contágio por mais de uma vez neste ano.

Para a secretária adjunta de Saúde, Crhistinne Maymone, apesar do avanço de algumas cidades, a situação ainda é preocupante.

Texto: Mariana Moreira

Veja também: https://oestadoonline.com.br/morador-de-rua-e-assassinado-com-tiro-no-rosto-no-tiradentes/

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *