É verdade que animais sentem quando suas tutoras estão grávidas?

Cachorros são grandes observadores e alguns conseguem perceber quando uma mulher está gestante, antes mesmo que ela saiba

A sensibilidade dos animais é uma das maiores virtudes dos cachorros, eles conseguem sentir, por exemplo, quando uma pessoa está triste. Mas será que o cachorro sente gravidez? Como isso acontece e o que muda no comportamento de cachorro quando a dona está grávida?

De acordo com a professora do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera Dourados, Creilda Santos Alves, os cachorros são grandes observadores e alguns conseguem perceber quando uma mulher está grávida, antes mesmo que ela saiba disso.

“Eles têm olfato muito aguçado e percebem a mudança através dos hormônios liberados na gravidez. Percebem a mudança física, as alterações de humor e a mudança de rotina. Pode inclusive demonstrar  e ficar com ciúmes  apresentando sinais de  carência”, explica.

Não somente dos cães, mas também gatos ficam com o instinto mais aguçado durante o período de gestação das tutoras. “Os gatos geralmente ficam mais carinhosos e os cães assumem a proteção estando sempre por perto e podem até se tornarem agressivos com pessoas que não convivem diariamente. É o cuidado e proteção natural da matilha”, revela a docente.

Os cachorros são, definitivamente, os melhores amigos que uma pessoa poderia querer. Na gravidez, isso só se torna mais evidente, já que os doguinhos fazem de tudo para estar por perto e garantir a segurança da nova mamãe, mesmo que eles não entendam muito bem isso. Mas é importante ter em mente que antes do nascimento do bebê, algumas adaptações na rotina e na casa são necessárias para apresentar o novo integrante da família ao cãozinho.

“Essas adaptações devem ser feitas para harmonizar e garantir uma boa convivência. As adaptações devem ser feitas no começo da gravidez. Permitir que o cão conheça, fareje o quarto do bebê, converse, explique, tem que deixar ele participar da rotina. Se aproximar da barriga e contar sobre a vinda de mais um membro da família, também faz parte. Uma dica interessante após o nascimento é deixar algo que tenha o cheirinho do bebê perto de algum lugar que ele gosta de ficar. Assistir a amamentação é muito positivo também”, finaliza.

Amor que se multiplicou

De acordo com a médica veterinária Luana Cardoso, Fiel um cachorro da raça Blue Heeler, chegou na família em 2015 e foi seu marido que ganhou ele de presente. No começo, ele não fazia muita questão de ter Luana por perto e sentia ciúmes do seu dono. “Quando ganhamos ele, éramo namorados e não morávamos juntos, o Fiel nunca foi muito próximo a mim nessa época e as vezes sentia ciúmes”, relembra.

A falta de afeto por parte do Fiel começou a mudar assim que Luana engravidou de sua primeira filha, em dezembro de 2016. “Percebi que no início da gravidez ele começou com uma leve aproximação, ele vinha e sentava perto, me olhava, olhava para barriga, dava a patinha e com o desenvolvimento da gravidez começou a querer ficar o tempo todo encostado na minha barriga”, explica.

Fiel virou o ‘grudinho’ da Luana e foi assim até depois que sua bebê nasceu. “Se eu sentava no sofá ele subia e colocava a cabeça na barriga e quando ele sentia a minha filha mexendo ele lambia. Virou um grude comigo, onde eu ia ele estava atrás. Quando a minha filha nasceu ele ficou extremamente agitado querendo lamber, pegar, brincar com ela, não deixávamos pois ela era muito pequena e até hoje ainda temos cuidado pois ele é muito ativo e não tem noção de força, por mais que tente apenas brincar com a irmã, mas sei que uma amizade incrível está sendo construída entre eles”, finalizou.

(Texto: Bruna Marques)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *