Consumidor consegue economizar quase R$ 43 no kg da picanha

preço

Nos cortes de segunda, foi constatada variação de 87,98% nos preços

Para aqueles que preferem consumir só carne de primeira, a pesquisa de preço pode ajudar na hora da compra. Isso porque foi constatada uma economia de quase R$ 43 na compra do quilo da picanha, por exemplo. A pesquisa foi realizada ontem (20) pela equipe de reportagem do jornal O Estado em três estabelecimentos de Campo Grande.

Esse corte é vendido por R$ 44,99 no supermercado Duarte e por R$ 87,98 no Big Beef, variação de 95,55%. Para o filé mignon foi calculada economia de R$ 35,99, sendo vendido entre R$ 42,99 e R$ 78,98 (83,72%). A alcatra foi encontrada por R$ 39,90 no Pires e R$ 42,98 no Big Beef; diferença de 7,72%.

Em se tratando dos cortes de segunda, foi constatada uma variação de 87,98% entre cinco tipos de cortes, sendo vendidos
de R$ 21,80 a R$ 40,98.

A capa de contrafilé foi encontrada de R$ 32,99 a R$ 36,98 (12,09%). O quilo do patinho, de R$ 35,80 a R$ 40,98 (14,46%). A costela fica entre R$ 21,80 e R$ 23,98 (10%). O músculo, de R$ 27,80 a R$ 34,98, com variação de 25,83%, sendo a maior entre os cortes de segunda.

Se comparar com outro levantamento feito no dia 15 de março, praticamente todos os tipos tiveram aumento de ao menos R$ 1. Conforme informações do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), o preço médio do quilo do coxão duro, coxão mole e patinho, em Campo Grande, encerrou março custando R$ 34,96.

Arroba

Segundo dados da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), no Estado, o valor médio da arroba do boi gordo, cotado ontem, chegou a R$ 297,50 na região sul e R$ 299,33 na região centro. Se comparar com o preço médio do mesmo dia de março, era R$ 287,50 e R$ 290, respectivamente, aumento de 3,47% e 3,21%.

A arroba da vaca está R$ 285 nas regiões centro e sul. No mês passado estava em R$ 272,50 para a sul (4,59%) e R$ 275 para a região centro (3,64%).

Porco vivo e frango seguem em alta no mercado

De acordo com análise do Cepea/Esalq (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), o porco vivo teve alta de 4,45% em São Paulo, atingindo a marca de R$ 7,75 o quilo. Em Minas Gerais, o avanço foi de 4,25%, cotado a R$ 7,61. No Paraná, a valorização foi de 3,72%, chegando a R$ 6,97. Santa Catarina teve avanço de 3,47%, custando R$ 6,85/kg, e de 2,85% no Rio Grande do Sul, com o valor de R$ 6,85 o quilo.

O frango congelado variou 0,16%, chegando a R$ 6,09. O frango resfriado também obteve a mesma diferença no preço, porém custando R$ 6,38.

Ainda conforme a pesquisa feita pela reportagem, a paleta suína foi encontrada por R$ 13,98 no Big Beef e por R$ 16,99 no Duarte (21,52%). A coxa e sobrecoxa ficaram entre R$ 9,90 no Duarte e R$ 11,98 no Big Beef (21,01%).

(Texto: Izabela Cavalcanti)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *