Auxílio emergencial deve ser renovado por mais “2 ou 3 meses”, diz Guedes

Ministro-da-Economia-Paulo-Guedes-—-©-Jorge-William

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta semana que o governo deve estender a rodada de pagamentos do auxílio emergencial aos mais vulneráveis por mais “dois ou três meses”, com a expectativa de ganhar tempo para o avanço da vacinação contra a covid-19.

“Possivelmente vamos estender agora o auxílio emergencial, mais dois ou três meses, porque a pandemia está aí”, afirmou Guedes em participação remota em um evento promovido pela Frente Parlamentar do Setor de Serviços.

“Os governadores estão dizendo que em dois ou três meses a população brasileira adulta vai estar toda vacinada, então nós vamos renovar por dois ou três meses.” Segundo o ministro, ao fim do pagamento das parcelas do auxílio o governo implementará um novo Bolsa Família, já reformulado.

O governo reeditou em abril o pagamento do auxílio emergencial, com a previsão inicial de pagamento de quatro parcelas de R$ 250. Na segunda-feira, a Reuters já havia informado a intenção do governo de estender o auxílio por mais dois meses, até setembro deste ano.

A medida será custeada por um crédito extraordinário de R$ 12 bilhões a ser enviado ao Congresso e outros R$ 7 bilhões que já estão disponíveis no orçamento autorizado para o programa.

“Logo depois, entra, então, o Bolsa Família, o novo Bolsa Família, já reforçado. Então eu diria que o Brasil está encontrando seu caminho”, defendeu Guedes, em alusão ao duplo compromisso do governo com a saúde da população e com o lado fiscal.

(Com informações da Reuters)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *