12 novembro 2019, 6:47

Salgadinho, Mumuzinho e Suel em diversidade com novo clipe

Leo Ribeiro

Mostrando-se tão atemporal quanto a própria música e o sentimento de amor que ela aborda – desde antes dos anos 2000 –, o cantor Paulo Alexandre Nogueira Salgado Martins (que ficou conhecido com o grupo Katinguelê como Salgadinho) vem ansiando novamente pelo mercado musical, preparando uma série de trabalhos que devem fazer com que o músico circule pelos ouvidos dos brasileiros mais um vez, lançando ao lado dos cantores Mumuzinho e Suel, o single e clipe da música “Química do Amor”.

(Re) iniciando sua carreira em abril de 2019, a voz e sonoridade de Salgadinho voltou às “paradas musicais” após o lançamento do single “Sol e Sal”, em parceria com o cantor sambista, Ferrugem, que já contabiliza quase 1 milhão de visualizações no YouTube e mais de 1 milhão de streamings nas plataformas digitais. “O que muda na forma de produzir é um pouco da linguagem, do português, das gírias, mas o comportamento das pessoas é muito contínuo, não muda muito. Mas a segunda questão é a de divulgar essa mídia”, explica Salgadinho, em entrevista exclusiva concedida ao caderno de Arte&Lazer do Jornal O Estado.

Sobre o novo trabalho ao lado de Suel e Mumuzinho, o cantor destaca que: “A Química do Amor fala do encontro da sintonia, do encaixe perfeito da alma e do coração, a exemplificação do amor em todos os sentidos. Gravar com esses caras foi exatamente isso, a ‘Química do Amor’ na amizade, na empatia, foi demais”.
“É bastante fácil porque é um tema recorrente sempre nas minhas composições falar do amor. Aí quando vem esses ingredientes do que é diferente – e a gente procura saber, geralmente, pelo tato – por exemplo, gravei com pessoas do meu convívio, casais diferentes, um filho especial com seu pai, não uma relação hétero, um casal onde uma das pessoas é cadeirante, ou seja, o amor é universal, sem fronteiras, sem barreiras e sem muros. Tinhamos um casal transgênero que não deu certo a participação, por conta de que eles brigaram, como qualquer casal briga mas, enfim, não é um bicho de sete cabeças, no fundo é: aceitar o diferente para poder falar de amor também”, ressalta Salgadinho.

Seu projeto mais recente, intitulado ‘Amigos do Pagode 90’, passou por 17 Estados, 60 cidades e levou cerca de 300 mil pessoas aos shows nos últimos 3 anos, relembrando músicas que fizeram o gosto do povo, como os hits ‘Inaraí’; ‘Lua Vai’; ‘Engraçadinha’ e ‘No Compasso do Criador’.

Aliando a tradição do seu pagode e samba, com a inovação da nova geração de músicos que despontam no cenário nacional – que Salgadinho já teve a oportunidade de trabalhar e conhecer –, o músico destaca o que muda depois do encontro de gerações em prol da música e da arte. “Justamente a forma que eles nasceram fazendo de divulgação a partir do conhecimento deles. Então tudo o que é, de alguma forma, para mim diferente, quando faço contato com eles eu acabo pegando a expertise deles em divulgar, junto um pouco com a minha experiência e aí, graças a Deus, o resultado é sucesso”, finaliza o sambista.

Serviço: “Química do Amor – Salgadinho feat Mumuzinho e Suel” está com clipe no Youtube e o single disponível nas demais plataformas e aplicativos de streaming. Você confere os demais trabalhos do músico nas redes sociais: @salgadinhooficial.

Veja também

Artista arrecada fundos para expôr desenhos em Londres

Alcançando além das fronteiras da imagem, do sentido e da própria distância física, as obras …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *